En Puntas

Há um tempo atrás, o vídeo “En Puntas”, de Javier Pérez, explodiu no facebook. Um bocadinho de pessoas (que sabem que eu faço ballet) me mandou.

Trata-se de uma bailarina dançando com pontas atadas/coladas/nãofaçoideia à facas enooormes em cima de um piano. Táqui.

En Puntas6

Na primeira vez que vi, fiquei chocada! Porque COMOASSIM ela tá destruindo o piano desse jeitooooo? Aí vi os comentários de uma das muitas páginas que divulgou, e lá estava todo mundo exaltado “não-sei-o-quê é inútil” “não-sei-o-quê  é ridículo” “estragou um piano a toa” “não faz sentido” e por aí vai…

Mas, de repente me deu um estalo e eu percebi: pra quem usa ponta, faz muito sentido. Até falei “nossa, vou fazer um post”, mas eu esqueci. EU ESQUECI é um resumo da minha vida. Aí o benditinho resolveu me perseguir de novo, e tá aparecendo em tudo quanto é canto. Cá estou eu:

Primeiro, a caixinha de música já traz nosso estereótipo. Chega às vezes a dar raiva, pelo menos em mim.

Então, a bailarina coloca as sapatilhas com as facas. E sobe. A gente sabe que sapatilha dói, e machuca, e estraga nossos pés. E que é meio difícil se equilibrar naquela base tão limitadinha. Imagina na pontinha da faca? A faca pra mim também diz dor.

E começam os bourrés no piano. Ah, o piano que nos acompanha nas aulas! Ele é o que nos obriga a repetir, e repetir, e fazer de novo… Sei lá, piano no ballet é muito significativo. Ou pensam em caixinha de música ou em piano, quando pensam em bailarinas (e também pensam em “Für Elise“, hehe). E eu acho a ligação da gente com o piano bem íntima. É o que nos move, poxa!

Confesso que, vendo agora o vídeo, não fiquei com nem um pouquinho de dó do piano. Eu tava: “delícia! risca mesmo! detona ele!”. Porque, acho eu, essa é a hora de exteriorizar toda a dor que a gente passa. Não só física, sabe?, mas também a emocional. Eu sei lá o que ela grita, mas vem de muito fundo! Cada fincada da ponta no piano, é um alívio. Lá se foi uma decepção, lá se foi uma dor, um grito.

Se a gente mostrar esse vídeo pra quem não faz dança, duvido nada que a maioria ficaria com dó do piano, e não da bailarina. Porque bailarina sempre passa o ar de leveza, de delicadeza, de que tá tudo bem, não estou sofrendo, obrigada. Por isso, ninguém entenderia o porquê da “agressão” toda.

Sim, eu entendi. 

°°°

e larga de ser fresco, gente. dá pra comprar outra tampa!

°°°

Posso ter viajado legal, mas quando, na história deste blog, eu não fiz isso???

Anúncios

4 comentários em “En Puntas

  1. oiiiii
    tambem vi esse video e fiquei toda arrepiada e me sentindo muito desconfortável depois de ve-lo. É exatamente o que vc disse, apenas nós que fazemos ballet sabemos o que passamos, nossas frustrações de não conseguir fazer uma pirueta, não ter pés e tornozelos fortes entre outros desafios que temos que superar a cada dia.
    adoro seu blog e acho muito (nao sei que palavra usar) “bom” que o “O Meu Repertório” continue firme e forte enquanto muitos outros blogs relacionados a dança apenas caem no esquecimento. Parabens

  2. Eii, Beatriz!!
    Tô feliz por mais alguém concordar com meu ponto de vista, assim não me sinto muito sem-noção, haha 😀

    Muito obrigada pelo elogio! Alegrou minha noite!

    Beijocas!

  3. Esse vídeo meu deu uma aflição gente… concordo com você Cyndi, e acrescento que esse vídeo, se nós repararmos bem, traz mil significados. O primeiro deles para mim é a revolta, a quebra de estereótipos…

Comenta. É grátis! :-D

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s