Da desromantização da bailarina

Eu não gosto dessa história de “ah, meu ídolo” pra cá, “ah, minha ídola” pra lá , nunca gostei. Mas sei que tem muita gente que é fã louco e faria de um tudo pra conhecer seu/sua admirado/a.

Também não gosto da cegueira seletiva que vem junto. Fulaninho não erra, Fulaninha é perfeita, Ciclaninho tem a vida dos sonhos.

Eeeee, pra completar, não gosto quando famosos e celebridades que se pintam como tal. Não gosto! Ninguém é ďuma subespécie superior. Como diria a Tia Má, “tira o sapatinho, bota o pé no chão!”. Alou! Todo mundo faz cocô, inclusive.

Acho que eu sigo só 2 atores holliwoodianos no instagram (o Chriss Pratt e a Viola Davis), mas sigo um punhado de bailarino famoso. Os meus perfis favoritos são os de quem é gente como a gente.

A imagem que se tem é que bailarinas são dóceis, quietas, delicadas. E acaba transmitindo que dançar profissionalmente é leve e fácil. Pudera, treino diário é pra fazer fácil. Mas você vai a um ballet só pra ver quão facilmente Mariazinha faz tal passo? Não, né.

Eu acho importante desromantizar a figura da bailarina e a profissão. Principalmente porque a gente (agora) sabe que é bem difícil e sacrificante. Sei lá, a impressão que me passa é “prepararia” a pessoa pra realidade.

Talvez é isso, prefiro uma pegada mais realista. Vida perfeita não me atrai. Gosto de gente que cai e ri, gosto de ver bastidores, não gosto de ver pé todo machucado HAHA, gosto de saber que a bailarina também sua igual cachoeira quando tá ensaiando.

Vida real é mais legal. =D

(Isso me lembra o documentário sobre a Véronique Doisneau, checa lá no blog da Cássia)

Os perfis que mais gosto são o da Beatriz Stix-Brunell, primeira solista da Royal, e da Ashley Bouder, primeira bailarina do NYCB.

A Beatriz é uma palhacinha e já garrei amô aí! Ela mostra a vida de bailarina que tem: ensaios, exercícios, mostra o pessoal dormindo na sala, faz vídeo na academia da royal, faz careta, dá umas reclamadas básicas das bolhas e roxos nas pernas. Mas também publica umas fotos mais Glamour® pra não perder a credibilidade.

Olha essa guria:

A Ashley vai virar assunto pra outro post! Aguardem, que é o próximo! Mas fiquem já com essa:

Mas, ó gente, eu também sigo ballerinas de porcelana, tipo a Marianela Nunez, e também (é ÓBVIO) sigo a diva mor, a mãe de todos, Misty Copeland, não vou ser hipócrita. O perfil delas é a vida sonhada das bailarinas, né? Heheh. Não precisa abdicar do bonito também. Equilíbrio, mis amores!

 

Anúncios

2 comentários em “Da desromantização da bailarina

  1. Eu gosto bastante da Beatriz Stix-Brunell como bailarina, mas acho que no Instagram ela força um pouco a palhaçada :/ eu a sigo pq gosto de ver o dia a dia deles e tal, mas sigo tb outras bailarinas e outros bailarinos da Royal que acho mais de boas.

Comenta. É grátis! :-D

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s