Cabeças

 

Simplesmente amo o jeito que a Dorothée usa as cabeças nessa variação

ou então, da Marianela nessa

e percebi que as cabeças são o X* da técnica.

Eu acho difícil coordenar a cabeça com o movimento, principalmente no pas de basque, haha. Particularmente, não uso muitas (mea culpa) e quando danço, é mais a cabeça que eu quero mesmo. Acho que até exagero um pouco, mas olha só meu tamanho! não dá pra evitar muito, hehe. Enfim…

A bailarina que tem a técnica perfeita, e a cabeça de técnica perfeita, me parece seca demais. Sabe? cabeça de ecarté, de devant, de degagé, de sei lá o qué. E também, quando ela sai muito direto de uma pra outra. Entendeu? Técnica demais. Nhá, não gosto não.

 

O que vai fazer parecer que é dança, e não uns exercícios repetidos em aula? Eu acho que a cabeça.

 

°°°

* X? É, não achei a palavra que queria. É tipo, o must, o diferencial, o excellence, sei lá. Um dia eu acho essa palavra e substituo. aceito sugestões.

 

ano novo, espero

olá, queridos persistentes leitores!

esse ano não foi nem um pouquinho fácil (e qual foi, né?!) e eu postei quase nadica! /envergonhada feat. entristecida

vou tentar, de coração, postar mais ano que vem. mas não garanto, porque finalmente vou dar início ao tcc (HEAVEN SIGHS), então nunca se sabe. mas a tentativa haverá.

então vou agradecer a esses meus queridos leitores persistentes, que dão uma olhadinha aqui e ficam com dó dessa mocinha que escreve, e, sei lá, de vez em quando falam comigo (é tão bom não ouvir só o eco, hahah) <3

que 2016 seja muito iluminado

beijocas o/

 

fotoooooos

fiiiiiiiiiiinalmente, minha antiga escola entregou as fotos do espetáculo do ano passado (lembram dele? o que deu tudo errado). Tava quase arrancando os pelos da cara de ansiedade. Primeiro, porque eu fiquei tempo pra caramba no palco, então achei que teria bastante foto (#trouxa), segundo porque era meu PRIMEIRO SOLO PÔ, e terceiro porque meu pé deveria estar horrível.

Bem, não estava tanto.

Ah, nem tinha tanta foto.

E não sei se eu dancei bem mal, ou o fotógrafo que não pegou meus ângulos bons, hahah. então, desculpem qualquer coisa. Dei umas cortadas nas fotos, lancei meu olhar ~artístico~ nelas e vou postar minhas favoritas aqui com SELO DE EXCLUSIVIDADE!!!1!

 

olá

boa noite.

alguém pode me dizer poR QUE CARGAS AS BAILARINAS TÃO SE MAQUIANDO  IGUAL AO FILME QUANDO VÃO DANÇAR CISNE NEGRO?

bjo me liga, gat

música

~tô pensando em usar o blog tipo um twitter. posts curtos (nem tanto)~

galere, eu sou uma fã de música clássica ridícula. choro mesmo. finjo que tô regendo mesmo. faço caras e bocas mesmo. gostava antes de música clássica do que ballet, e acho que o primeiro levou ao último, ou fez gostar mais.

sei lá. é muito importante para mim, quando gosto de um bailarino qualquer, que ele seja musical. mas, ser musical é mais do que fazer o movimento na música, é fazer o movimento “NA” música. Entenderam? não é só estar no tempo certo, plié no tempo 3, salto no buum!, posé no final perfeito. É sentir a música de verdade, estar mergulhado nela.

acho que descobri, então, o porquê da minha implicância com a zakharova. não sinto isso nela. ficou claro quando vi este vídeo dela, da variação da visão de raymonda:

sendo que eu já tinha amado esta aqui:

meoDeos. Olha as mudanças sutis do olhar com as mudanças sutis da música. olha esSE PORT DE BRÁS. (o figurino também, gente, tá mavarilhoso). you go, madoka coco!

mas achei a svetlana tão sequinha. tenho a impressão que se ela dançasse com um metrônomo ia ser a mesma coisa, sabe?

ººº

eu nunca acompanhei a sveta. acho que o amô não colou porque: 1. não sou fã desses pernão todo em variação clássica, nem exagero, nem técnica russa, hehe. 2. no meu começo no ballet, eu só via a moça sequinha. ela melhorou sim, olha essa variação de a filha do faraó, que eu amo <3. tá sentindo mais, né? mas ainda não colou.

gente, não tô de implicância não! não me mata!